08 novembro 2008

Escolha


Acorda menino,
mesmo com os olhos fechando ande,
ela não vai aparecer
vestida de sentimentos pra você desfrutar.

Levanta do chão,
as melhores bebidas
e o gosto dos beijos
não virão em pratos limpos.

Se quiser se embriagar
com os desejos,
arder ou não
vai ser escolha tua.

Ela não vai surgir
pra te beijar assim,
nem vai sussurrar teu nome
em voz baixa tão fácil.
Nem discutir com você
pra ter sua atenção.

Porque ela precisa ser vista,
desejada, conquistada.

Acorda menino,
ela está lá fora,
onde suas pernas precisam ir
porque nada vai ser de graça.
Não vai ser tão fácil
quanto quer.

Os beijos que sente falta de ter
não chegarão em bandejas,
onde está não poderá vê-la.

Ela está lá fora
com as complicações que você vai gostar de ouvir
e suas opções estão cada vez mais claras.
Se acomodar não é solução,
nem se acostumar
a ser sempre assim.

O sofá toma sua forma
e sua voz não poderá ser ouvida.
Por mais que você grite
e imploda isso não mudará.

Ela continuará a caminhar
pelas ruas que você deveria passar,
vai beber as bebidas que deveria oferecer,
vai sorrir e vai chorar
E você não vai estar.

(Thiago Pacheco)

2 comentários:

Marcelo disse...

A cara da frase que você usa no início do blogue. Bem Legião, bem Renato Russo...
E age como um apelo e uma ordem.. para tudo na vida..
Acorda, menino!

Gostei.

Adilson Jorge disse...

Primeiro, adorei o poema. Me lembrou um da Cecília Meireles que começa assim:

"Menino, não morras,/ porque a lua cheia/ vai-se levantando do mar."

Claro que a temática é outras, mas o vocativo se parecem.


Outra coisa, como um legionário, não pude não notar nas frases do Renato esparramadas pelo blog. Bom gosto! rs


Abraços